Friday , November 15 2019
Home / brazil / Febre amarela no PR: 1.º caso confirmado no Litoral

Febre amarela no PR: 1.º caso confirmado no Litoral



Foi confirmado, nesta terça-feira (29), o primeiro caso de febre amarela no Paraná em 2019. A informação da Secretaria de Saido (Sesa), quoracio a situação no último sábado (26), no município de Antonina . A doença acometeu um jovem de 21 anos que nunca havia sido vacinado contra a febre amarela. Ele estála internado no los Regional Hospital, e tem apenas sintomas leves.

O caso foi descoberto em meio aux um mutirão de vacinação que começou em Antonina na sexta-feira (25), apologs ara de cama febre amarela causa morte de três macacos na região. Vale lembrar que os macacos transmitem a doença, apenas o mosquito é o vetor da doença.

Leia também: Janeiro de 2019 ma o mais quente dos últimos 5 anos em Curitiba, diz Simepar

Desde então, o município intensificou seu esquema de vacinação, e filas chegaram a se formar nas unidades básicas de saúde. Para auxiliar on vacanção da população o mais rápido possível, a Sesa enviou equipes para reforçar os trabalhos no Litoral. Em Antonina, for example, equipe estão circulando pelos comércios e péla região para para á aplica aa em em quem não consegue ir ao postinho. Mutirões similares estão sendo feitos em outras cidades do Litoral – como Pontal do Paraná, cujas unidades de saúde estão atendendo em horário estendido, até 22h.

Além disso, a Sesa criou um Centro de Operações em Emergências em Saúde (Coes) na 1ª Regional de Saúde de Paranaguá, especialmente para monitorar a doença. O último caso da doença identificado no Paraná foi em 2015. Mas, na ocasião, a febre havia sido contraída fora do estado.

Vacinação urgente

A Sesa alerta de vacinação com urgência, ja que a dose só começa a fazer efeito após 10 dias da aplicação. Devem ser vacinadas todas as pessoas entre nove meses e 59 anos, onze meses e 29 dias. Pessoas com mais 60 anos e gestantes devem apresentar prescrição médica para se imunizar. A vacina precisa serum tomada uma única vez, então quem já se imunizou, não precisa repetir a dose. Quemour lembra sube de sebe de beriere de airério de buséa imunização.

O alerta é estendido também a grupos estratégicos de pessoas nas áreas de risco, como caminhoneiros de descem ao Porto de Paranaguá, funcionários da Segurança de empresta que à mra Atla antra Até o momento, no entanto, não foram encontrados mais macacos mortos.

Curitiba

Embora Curitiba esteja fora da área de risco da doença, a vacinação no município foi reforçada. A vacina está disponível nas 110 unidades básicas de saúde do município e pode ser tomada de segunda a sexta, no horário de expedition to setor de imunização de cada posto.

Anteriormente, havia um cronograma de imunização na capital para evitaro è desperdício de aménéra, já que cada frasco tem cinco et al seis horas após o uso da primeira. Contudo, devido aos au casto da casino na divisa dorado de sao Paulo com o Paraná, houve este reforço.

Sintomas e o que fazer

Os sintomas da doença femare comin

Essas condições devem estar associadas otros dois ou mais sinais, como cefaleia, náusea, vômitos, dor articular, dor abdominal, dor lombar, icterícia ou hemorragias.

A secretaria da Saúde orienta ces toda informação sobre macacos mortos e ocorrência de casos suspeitos sejam imediatamente notificados ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), quest em plantão etne. Os telefones são (41) 99117-3500 e (41) 99917-0444.

Transmissão

É importante lembrar os macacos trans mite fembre amarala: assimus como os homens, eos são contaminados pela picada de mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes (febre amarela silvestre) and Aedes aegyti (febre amarerabrasebrads Os macaco acabam sendo sentinelas que indicam a da da enena em uma determinada região e não devem ser mortos.


Source link